A importância da representação feminina no empreendedorismo

Isabella Schmitt
13 de março de 2020

Cada vez mais visualizamos a presença feminina no campo do empreendedorismo, segundo um estudo realizado pelo Sebrae publicado em 2019, o Brasil está no 7° lugar entre os países com a maior proporção de mulheres entre os empreendedores iniciais. Em comemoração ao dia internacional da mulher, vamos mostrar o quanto a presença feminina vêm ganhando espaço e o quanto ainda precisa ser reconhecida pela sua importância no atual cenário da econômico.

Mas antes, dois conceitos que são importantes ter em mente:

Empreendedores Iniciais (TEA): são aqueles que possuem até 3 anos e meio de atividade em um negócio.

Empreendedores Estabelecidos (EE): são aqueles que possuem um negócio com mais de 3 anos e meio de atividade.

O cenário para as mulheres

Atualmente no Brasil, 51% dos novos empreendimentos são comandados por mulheres. Cenário bem diferente se comparado com outros países onde ainda existe uma predominância masculina quando se trata da criação de novos negócios no contexto do empreendedorismo.

Segundo dados coletados pelo Sebrae, a taxa de Empreendedores Iniciais (TEA) mulheres é de 19,9% já para os homens é de 19,2%, revelando um equilíbrio entre ambos os sexos. Mas esse equilíbrio não significa estar mais fácil para as mulheres empreenderem, pelo contrário, as oportunidades de empreender são bem diferente entre homens e mulheres. A pesquisa aponta que em 2018 44% das mulheres começaram a empreender por necessidade, diferente dos homens onde apenas 32% empreenderam por essa razão. Ainda segundo os dados do Sebrae, existe uma diferença de 5% entre os Empreendimentos Estabelecidos (EE) comandados por homens em relação aos comandados por mulheres.

Ao mesmo tempo, esse crescimento reflete a importância feminina no mundo dos negócios e no contexto do orçamento familiar. É cada vez mais comum encontramos as mulheres sendo as principais provedoras da renda familiar, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), a cada 10 lares brasileiros 4 são comandados por mulheres, sendo 41% delas donas dos seus próprios negócios.

Já um estudo conduzido pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM) revela que a inovação está presente em 5% a mais nos negócios comandados por mulheres, caracterizando assim perfil mais criativo e aberto a mudanças do que os negócios comandados por homens.

Essas mulheres além de comandar seus empreendimentos, ainda lidam com longas jornadas, pois além das suas empresas ainda realizam atividades domésticas, cuidam dos filhos e muitas ainda estudam para melhor se qualificarem para o mercado de atuação das suas empresas. A sobrecarga se torna tanto física quanto psicológica, pois a cobrança se torna constante para que cada vez mais realizem com eficiência suas atividades e todas elas com a mesma dedicação e empenho.

Outro dado que impressiona é o fato das empreendedoras do sexo feminino ganharem em média 22% a menos se comparados com os empreendedores do sexo oposto. E ainda pagam taxa de juros de 34,6% ao ano, sendo que os empreendedores do sexo masculino pagam taxas de 31,1% ao ano, mesmo as mulheres tendo um índice de inadimplência menor.

Inspire-se nessas mulheres empreendedoras

Estabelecido pela ONU, o dia 19 de novembro é considerado o Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino. Mas para celebrar e trazer referências e inspirações femininas para o dia Internacional da Mulher, que é comemorado no dia 8 de março, separamos quatro empreendedoras femininas que encontraram um modo diferente de inovar e empreender seus negócios. 

Bruna Tossi Longaray

Também conhecida como Bruna trufas, começou a empreender em 2010 quando ainda fazia cursinho para entrar no curso de Direito.  A solução para complementar a renda, fez tanto sucesso que Bruna continuou vendendo as trufas enquanto cursava Direito na PUC-RS. O sucesso das trufas se tornou tão grande, que aos poucos o curso de Direito foi deixando de ser uma prioridade, a ideia de abandonar o curso surgiu quando já estava com 70% da grade curricular concluída. 

Atualmente Bruna cursa marketing no Senac e sua empresa emprega 23 funcionários, têm sua própria loja física em Canoas que também atende através de delivery em Porto Alegre pelos aplicativos de entrega.

Irmãs Alcântara

Bárbara, Débora e Julia Alcântara transformaram um gosto em comum, a moda, em um super negócio que vai desde a cafeteria, grife de bolsas e maquiagem e até cursos sobre empreendedorismo.

Antes da dedicação exclusiva ao blog, as irmãs eram donas da agência de comunicação Curta Comunicação, fundada ainda na época da faculdade por meio da incubadora da UFP. A agência trazia a proposta de estabelecer uma comunicação mais direta entre o público e as empresas, algo que em 2010 ainda não era tão recorrente. Foi aí que tiveram os primeiros conhecimentos sobre a monetização em blogs, construção de networks e técnicas de gestão e negociação.

Às três são as responsáveis pelo blog Tudo Orna, o empreendimento que conseguiu criar um laço que cativou o público e ainda despertou o interesse de empresas. Só em 2018 o grupo chegou a faturar R$ 2,5 milhões de reais. A maior parte desse faturamento veio através do blog e dos cursos oferecidos pelas irmãs.

Além do sucesso na área de empreendedorismo, as irmãs são figuras ativas nas mídias sociais, onde estabelecem uma comunicação direta com seu público e também incentivam o empreendedorismo feminino.

Greta Paz

Formada em jornalismo pela PUC-RS e, Greta é uma das co-fundadoras e diretora da Eyxo Estratégias de Inovação, empresa especializada em contar histórias de marcas em diferentes formatos digitais. Além da Eyxo, em 2013 fundou a MPQuatro, empresa de branded content especialista em Youtube e em formatos de vídeo web.

Além das duas empresas, Greta também possui um canal no Youtube onde fala e dá dicas de empreendedorismo, além de se apresentar em palestras relacionadas ao tema e ao incentivo de mulheres no empreendedorismo.

Em 2019 foi citada pela Forbes, como uma das jovens mais promissoras do país com menos de 30 anos. Além de receber a certificação internacional de empresas pertencentes ao “Sistema B”, que é dado a organizações que tem em seu trabalho uma responsabilidade social eleva e por isso prestam um impacto positivo na sociedade.

Nathalia Arcuri

Formada em jornalismo pela Uni Fiam, largou a carreira de repórter de TV para se dedicar ao mundo das finanças. Dona do canal no Youtube Me Poupe!, aos 32 anos já conseguiu juntar seu primeiro milhão de reais. Além de vídeos para o YouTube com inúmeras dicas do mundo financeiro, sua empresa faz programa de rádio, blog, cursos online de finanças e até um livro já foi lançado sobre o tema. Só em 2018, o Me Poupe! faturou R$ 8,7 milhões.

Nathália acredita que a educação financeira deve ser acessível para todos, por isso de trazer tantos temas para o seu canal, em formatos leves e até considerados de entretenimento. 


Essas quatro jovens empreendedoras são apenas algumas das inúmeras que existem por aí, que buscam diariamente um jeito de unir o que gostam com um meio lucrativo do empreendedorismo. Ser mulher e empreendedora exige dedicação, força e muita vontade para seguir em frente, mesmo com todas as adversidades que essa área empreendedora impõe. 

Todos esses dados mostram o quanto a presença feminina vêm cada vez mais ocupando o cenário empreendedor, esses mesmos dados revelam o quanto ainda é difícil para as mulheres se tornarem empreendedoras em um campo, ainda, majoritariamente masculino. Sexismo, desestímulo financeiro e até educação desigual que não estimula às mulheres a empreenderem, são apenas alguns fatores que aumentam a margem das dificuldades a serem ultrapassadas por quem busca e sonha ser dona do seu próprio negócio. 

Essa realidade somente pode ser mudada a partir de uma conscientização geral de todos, para que cada vez menos essa desigualdade seja cada vez menos presente no dia a dia não só de mulheres, mas de todos que buscam empreendem e sofrem, de algum modo algum tipo de preconceito de um mercado ainda hostil e predominantemente masculino.

Nós da Safe2Pay parabenizamos a todas as mulheres que lutam diariamente para fazer seus empreendimentos darem certos. Que seguem de cabeça erguida, com sorrisos, e buscando fazer a diferença no mundo. Um muito obrigado, por serem exemplos para inúmeras outras e mais uma vez. Que essa data não seja marcada somente por felicitações por serem mulheres, mas que tragam atitudes de toda uma sociedade que realmente reflita e expresse a igualdade entre todos!

Parabéns a todas pelo dia Internacional da Mulher e por lutarem diariamente pelo seu sucesso.